1ª Conferencia Ibero-americana de Place Branding 1-3 de julio, 2020. NOVA FCSH

01-02-2020

por Juan Carlos Belloso

Captura de pantalla 2020-02-29 a las 16.55.47

APRESENTAÇÃO

As últimas décadas do século XX caracterizaram-se por um aprofundamento do movimento de globalização e, consequentemente, por um agravamento do ambiente concorrencial. Localidades (países, cidades, regiões, estados, etc) competem entre si, não só para atrair recursos tão díspares como investimento, trabalhadores ou turistas, mas também para promover as suas exportações. Assim, à semelhança dos gestores que assumem as suas marcas como instrumentos fundamentais para a sobrevivência num mercado cada vez mais concorrencial e volátil, também os responsáveis por localidades começam hoje a olhar e a entender o conceito de marca como uma ferramenta crítica para garantir a sustentabilidade do seu país, região ou cidade.

Porém, ao contrário das tradicionais marcas comerciais, as marcas geográficas têm uma complexidade e uma abrangência imensa. A questão da gestão de marcas geográficas, ou o Place Branding, envolve áreas científicas tão díspares como a comunicação, o marketing, a sociologia, o turismo, o urbanismo, a geografia, o design, as relações públicas, a diplomacia, as relações internacionais.

Esta 1ª Conferência Ibero-Americana de Place Branding tem o objetivo de reunir, explorar, debater e dar a conhecer a investigação na área do Place Branding em países de língua portuguesa e espanhola. Assim, a língua oficial será o português e espanhol.

Em virtude da complexidade e da abrangência das marcas geográficas a conferência está alinhada e organizada em três temáticas: City Branding, Destination Branding, Nation Branding.

City Branding: As cidades são realidades complexas quer pela abrangência dos seus públicos-alvo, bem como pelo número de atores públicos e privados que operam no território. O desenvolvimento de uma estratégia de marca para cidades, pode ser visto como um mecanismo de alinhamento de estratégias dos diferentes atores.  Comunidades locais, populações residentes e urbanismo são alguns dos elementos que deverão estar sempre presentes no desenho das estratégias das marcas cidades. Enquadram-se nesta temática todas as apresentações inerentes ao desenvolvimento e gestão de marcas cidades.

Destination Branding: o turismo tem uma natureza e um funcionalmente único e, para a generalidade dos países, é uma das maiores indústrias exportadores. Países, regiões e cidades trabalham as suas marcas para diferenciarem a sua oferta, atrair turistas e simultaneamente garantir a satisfação com o consumo. Enquadram-se assim nesta temática as investigações que lidam com a localidade enquanto destino turístico.

Nation Branding: aceitam-se trabalhos que explorem, do ponto de vista teórico ou prático, o conceito de “marca país”, isto é, a reputação de um país e da sua população nas diferentes dimensões (cultura, administração, pessoas, exportações, turismo, investimento e imigração), e a sua influência nos processos de public diplomacy.

https://conferenciaplacebranding.fcsh.unl.pt/#apresentacao